(48) 99159-6200
sergio@sergioborba.com.br

CEF - Sobre Financiar

Entendendo sobre Financiamento de Imóveis na CEF
Claro que é praticamente impossível saber de tudo o tempo inteiro, mas alguns assuntos devem ser muito bem dominados, como as regras da Caixa Econômica Federal (CEF) para a concessão de crédito imobiliário. Por isso nós preparamos um guia rápido que vai ajudar você a compreender melhor como funcionam vários benefícios da Caixa, assim como condições e restrições ao financiamento.

Condições para requerer um financiamento pela Caixa Econômica Federal
A Caixa Econômica tem várias linhas de financiamento, é preciso ver em qual delas o seu cliente se encaixa – em relação à renda, à condição de correntista ou quotista da Caixa, etc. No entanto, algumas condições são comuns a todos elas.
É preciso ser maior de 18 anos ou ser emancipado com 16 anos completos; ser brasileiro ou ter visto permanente no país; possuir capacidade civil e de pagamento. É justamente em relação a este último item que muitas vezes caem as restrições, que falaremos mais adiante, e para o qual são pedidos diversos documentos de comprovação de renda.
Os documentos necessários para aprovação do cadastro e crédito são:
  • carteira de identidade;
  • comprovante de renda;
  • última declaração de Imposto de Renda e recibo de entrega à Receita Federal;
  • no caso de uso do FGTS, carteira de trabalho ou extrato do FGTS;
  • certidão do imóvel de inteiro teor da matrícula.
É importante saber também que a Caixa se faculta o direito de pedir quaisquer documentos adicionais que julgar necessário para a avaliação da situação cadastral do seu cliente.

Imóvel precisa passar por uma avaliação
A Caixa faz uma avaliação do imóvel através de seus engenheiros credenciados, que observarão, também, se o valor do mesmo corresponde ao valor declarado para o financiamento. Além disso, toda a documentação do imóvel será ser avaliada e a própria CEF indicará a melhor faixa de financiamento e a necessidade de apresentação de novos documentos, se houver. Depois de tudo entregue e validado, é a hora da assinatura do contrato.

Dica
Peça para o seu Corretor de Imóveis fazer uma simulação de financiamento, o que pode ajudar bastante a se decidir pela compra do imóvel. Escolha as melhores opções, que partem de 20% de entrada com 80% de financiamento e 35 anos para pagar, de acordo com a idade, capacidade de entrada e comprometimento da renda. Não esqueça de considerar também as taxas e impostos a serem pagos, como o valor do ITBI, custas do contrato e tarifas bancárias.

Atenção às possíveis restrições
O nome negativado – o famoso nome sujo na praça – é a maior causa de negativa do financiamento pela CEF. A análise feita pela Caixa, neste caso, é bem ampla e inclui principalmente Serasa, SPC e similares (inadimplência junto ao comércio e serviços); Banco Central (pela emissão de cheques sem fundo); restrições e pendências na Receita Federal e no INSS (falta de entrega de declaração de IR, problemas cadastrais de CPF, inscrição na dívida ativa etc.); Justiça Trabalhista (no caso do vendedor do imóvel, o que também pode embarreirar o financiamento); entre outros que podem reprovar um financiamento imobiliário da Caixa.

Dica
Se houver algum problema de restrição procure descobrir qual a empresa que a originou e resolver a situação. No caso do comércio, deve quitar a dívida, no Banco Central, pagar e pegar o cheque que motivou a inclusão do seu nome no cadastro e levá-lo até o banco para retirar o nome, e na Receita e no INSS, será preciso que você procure uma agência para fazer a correção. Em relação à Justiça do Trabalho,tente fazer uma consulta no site do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e a procurar um advogado para auxiliá-lo.

Usando o FGTS para dar a entrada no financiamento da Caixa
Você sabe, é claro, que o FGTS pode ser utilizado para o pagamento da casa própria, mas preste atenção nas regrinhas na hora de usar. O FGTS pode ser usado nas seguintes situações: para compra, construção, amortização ou quitação do saldo devedor.
No caso da compra, que é o que interessa aqui, o FGTS pode ser usado para reduzir em até 80% o valor das prestações em até 12 parcelas consecutivas – desde que o contrato tenha sido assinado pelo Sistema Financeiro de Habitação.
O primeiro passo é consultar o saldo da conta de FGTS e juntar a documentação necessária, que é o documento oficial de identificação; extrato da conta vinculada ao FGTS; carteira de trabalho para comprovação do tempo de trabalho sob o regime de FGTS ou declaração do órgão gestor da mão de obra ou do sindicato em caso de trabalhador avulso; e declaração de Imposto de Renda.

Dica
Há várias regrinhas bem específicas do próprio Fundo que é interessante você saber, cujas respostas você encontra no site do próprio FGTS.

Quer saber mais sobre imóveis com financiamento em Laguna e Região ou solicitar uma simulação? Deixe aqui a sua dúvida e em breve eu responderei!

Fonte: https://tecimob.com.br/blog/
icone-whatsapp 1

www.sergioborba.com.br © 2020. Todos os direitos reservados.

Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias